A Netflix sentenciou mais uma daquelas temidas listas para os assinantes que possuem o hábito de acumular obras em uma lista infindável: serão 145 filmes e séries a dar adeus ao serviço de streaming já no início de 2017. Verdade seja dita, a maior parte do conteúdo não vale mesmo a hospedagem. No entanto, há algumas pérolas que merecem ser apreciadas antes de deixarem definitivamente (e legalmente) o seu smartphone, tablet ou smart TV. Pensando nisso, preparamos uma lista de filmes e programas para maratonar antes que o ano vire e as licenças acabem. Confira:

A Vida é Bela (La vita è bella, 1997)

Filme italiano sensível e apaixonante que se passa no contexto da Segunda Guerra Mundial. No entanto, não se assuste! Não estou começando a lista com um clichê terrível. É bem verdade que, ao fim da obra, algumas lágrimas possam vir à tona, mas elas certamente serão acompanhadas de muitos sorrisos e gargalhadas com a icônica interpretação de Roberto Benigni, ganhador do Oscar de melhor ator do ano. Indispensável. Deixa o catálogo no dia 01/01.

Chicago (Chicago, 2002)

Sou suspeita a falar, mas este ocupa, há 10 anos, o posto de melhor filme musical na minha criteriosa lista. Com atuações marcantes e ecléticas de Catherine Zeta-Jones, Renée Zellweger e Richard Gere, este filme ganhador do Oscar encanta por beleza estética, números musicais e não deixa a desejar em nível de roteiro. Corre que ele sai do catálogo já no dia 01/01.

Cidade de Deus (2002)

Cinema brasileiro da melhor qualidade, atestado por Hollywood ao receber quatro indicações ao Oscar do ano. Quebrou paradigmas e impôs elevados padrões. Merece ser visto por seu roteiro realista, chocante e cru.

El Cuerpo (2012)

Neo-noir espanhol com roteiro instigante e execução que não deixa a desejar. O detetive Jaime Peña investiga o caso de um corpo desaparecido do necrotério, após um guarda-noturno do local ser atropelado. O corpo é de uma poderosa mulher, Mayka Villaverde. Para isso, ele precisa investigar o envolvimento do jovem viúvo de Mayka. Atuações interessantes, principalmente Belén Rueda. Deixa o catálogo em 1º de janeiro.

Frida (Frida, 2002)

Cinebiografia da pintora Frida Kahlo. Foca em sua personalidade forte, arte, relacionamento e casamento conturbado com o também artista Diego Rivera. Aclamada melhor atuação da carreira da atriz mexicana Salma Hayek.  Sai da Netflix em 1º de janeiro.

Gênio Indomável (Good Will Hunting, 1997)

Marcante atuação de Matt Damon no papel de um jovem e rebelde e gênio que tenta ser educado por um psiquiatra e um premiado matemático, ao mesmo tempo que descobre que a vida vai além das teorias que ele domina com tanta maestria. Bom filme de Gus Van Sant. Ben Affleck, na flor da idade, é coadjuvante. Deixa a Netflix também em 1º de janeiro.

O fabuloso destino de Amélie Poulain (Le Fabuleux Destin d’Amélie Poulain, 2001)

Filme francês que caiu nas graças do público e se tornou símbolo da cultura pop da última década. Sua protagonista é a encantadora e sensível Amélie (Audrey Tautou), munida de uma maneira muito particular de enxergar o mundo. Trilha sonora memorável.

O paciente inglês (The English Patient, 1996)

Outro filme que deixa o catálogo da Netflix em 1º de janeiro é O Paciente Inglês, vencedor de nove Oscars da Academia em 1997, incluindo o de melhor filme. O drama romântico tem no elenco ninguém menos que Ralph Fiennes, Juliette Binoche, Willem Dafoe e Kristin Scott Thomas.

O Som Ao Redor (2012)

Filme do pernambucano Kleber Mendonça Filho que fortaleceu enormemente o circuito de cinema nordestino. Se você é cinéfilo e, assim como eu, ainda não viu, está vergonhosamente atrasado. Corre, que ele só fica no catálogo até o dia 31 de dezembro.

Tabu Brasil

Série da National Geographic com duas temporadas e 11 episódios disponíveis no serviço de streaming. Fala sobre temas polêmicos, tabus, e questiona as nossas noções arraigadas de certo e errado. Os episódios seguem o padrão documentário e possuem em torno de 45 minutos. Um rico conteúdo para os mais curiosos, prestes a deixar o catálogo da Netflix.

Temas como “Amor Livre” integram a série

Outros filmes que deixam o catálogo até o dia 04 de janeiro e merecem ser vistos, a depender dos interesses, são a comédia adolescente com ares de nostalgia da década passada “Ela é o Cara”; o documentário brasileiro “Doméstica”, um realista produto audiovisual e antropológico; o comentado thriller “Drive”, com Ryan Gosling, Carey Mulligan e Bryan Cranston; o clássico Tim Burtiano da Sessão da Tarde “Edward, mãos de tesoura”, caso alguém ainda não tenha visto; o suspense “Os Outros”, com Nicole Kidman; e ainda o legítimo e inesquecível filme de Tarantino, “Pulp Fiction”, que tem uma das trilhas sonoras mais marcantes do cinema.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Comentários

comments

Sobre o Autor

Andressa Vieira

Jornalista, cinéfila incurável e escritora em formação. Típica escorpiana. Cearense natural e potiguar adotada. Apaixonada por cinema, literatura, música, arte e pessoas. Especialista em Cinema e mestranda em Estudos da Mídia (PPgEM/UFRN). É diretora deste site.

Um Comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.