Ah, as categorias técnicas! Essenciais para transformarem os filmes nas peças de arte que tanto admiramos, mas que na noite do Oscar ninguém dá muita bola. Exceto pelo prêmio de Melhor Canção Original, é claro, que agrupamos aqui para ajudar a aumentar o IBOPE do post. E se alguém estiver interessado (por que?!?), no final temos os Curtas.

Bom, nas categorias técnicas, La La Land mantém a sua dominação. Contudo, alguns filmes que não empolgaram tanto a crítica – como Jackie e Animais Fantásticos e onde Habitam – devem abocanhar algumas estatuetas, atrapalhando a busca de La La Land pelo recorde de prêmios.

Os Concorrentes (listados na ordem do mais provável a vencer ao menos provável):

Melhor Fotografia

  1. Linus Sandgren – La La Land
  2. Bradford Young – A Chegada
  3. Greg Fraser – Lion
  4. James Laxton – Moonlight
  5. Rodrigo Prieto – Silêncio

Qual foi o filme mais bonito do ano, visualmente falando? Eis uma qualidade imbatível do cinema: a capacidade de receber o filme dentro das características com as quais foi planejado. O papel do Diretor de Fotografia está em escolher as lentes, as características de cor, saturação, iluminação etc que irão trazer a visão do diretor do filme para a realidade.  Fraser surpreendeu ao ganhar o prêmio da categoria (ASC Awards), enquanto Sandgren levou o BAFTA. É uma categoria de difícil escolha – todos os filmes são tecnicamente maravilhosos em termos de fotografia. Mas, até agora, o favoritismo segue com Sandgren, por La La Land.

Melhor Edição

  1. La La Land
  2. A Chegada
  3. Até o Último Homem
  4. Moonlight
  5. A Qualquer Custo

Uma boa edição pode transformar completamente um filme, uma vez que, a partir dela, é possível mudar completamente a história, o ritmo e dar um significado completamente diferente até para a atuação dos atores. Quem leva? Teoricamente, A Chegada faz o melhor uso desse recurso e deveria ganhar de lavada. Moonlight, que trabalha com diferentes períodos temporais, também tem seus apelos. Mas… nós temos um ganhador de Melhor Filme em modo rolo compressor esse ano. Esse ano, La La Land sai favorito na categoria, mas não se surpreenda se A Chegada for o reconhecido.

Melhor Canção Original

  1. “City of Stars” – La La Land ­– Justin Hurwtiz, Benj Pasek, Justin Paul
  2. “Audition (The Fools Who Dream)” – La La Land ­– Justin Hurwtiz, Benj Pasek, Justin Paul
  3. “How Far I’ll Go” Moana: Um Mar de Aventuras – Lin-Manuel Mirana
  4. “Can’t Stop The Feeling” Trolls – Justin Timberlake, Max Martin, Shellback
  5. The Empty ChairJim: The James Foley Story – Ralph, Sting.

Curiosidade: Se Lin-Manuel Miranda ganhar o Oscar por Moana, ele entrará no seleto grupo de artistas EGOT, ou seja, que já ganharam um Emmy, um Grammy, um Oscar e um Tony – o maior prêmio da televisão, da música, do cinema e dos palcos, respectivamente. Então, boas chances para Miranda? Ha ha, não. Em um ano em que o favorito ao Melhor Filme é um musical, esteja certo que este filme vencerá a categoria. A questão é com qual música. “City of Stars” é a nossa escolha, mas talvez “Auditions” mexa mais com o coração da Academia. Uma coisa é certa: mais um Oscar para La La Land.

Melhor Trilha Sonora Original

  1. Justin Hurwitz – La La Land
  2. Dustin O’Halloran,Volker Bertelmann – Lion
  3. Nicholas Britell – Moonlight
  4. Mica Levi – Jackie
  5. Thomas Newman – Passageiros

Preciso comentar algo? Primeiro ano em que foi indicado e Hurwitz deve sair da festa com duas estatuetas: trilha sonora e canção.

Melhor Mixagem de Som

  1. La La Land
  2. Até o Último Homem
  3. A Chegada
  4. Rogue One
  5. 13 horas: Os Soldados Secretos de Benghazi

Hummm… caímos aqui em mais uma categoria técnica e, francamente, muitas pessoas não sabem dizer a diferença entre mixagem de som e edição de som. Mas agora você vai saber, para poder contar vantagem para absolutamente…ninguém. A mixagem de som envolve o trabalho no dia a dia da gravação. Inclui gravar os sons da cena, o diálogo dos atores, o som ambiente etc. Depois disso, pega-se esses sons em forma bruta e encontra-se a melhor forma de equilibrá-los dentro do filme. Já o editor de som trabalha longe do set de filmagem, criando sons ou trabalhando para amplificar/melhorar o som captado pelo responsável da mixagem de som.

Então, quem leva? Não é uma resposta tão fácil. Filmes de guerra têm sempre boa vantagem nas categorias de áudio, mas como estamos falando de mixagem e não de edição, e temos um musical como ganhador do Oscar de Melhor Filme, La La Land deve levar a vantagem nessa categoria.

Melhor Edição de Som

  1. Até o Último Homem
  2. A Chegada
  3. La La Land
  4. Horizonte Profundo – Desastre no Golfo
  5. Sully – O Herói do Rio Hudson

Bom, agora que você já sabe a diferença entre a mixagem e edição de som, nosso trabalho aqui fica mais fácil. Filmes de guerra e de ficção científica levam a vantagem, como dissemos anteriormente, por precisarem ser criativos na hora de criar sons originais ou emular sons reais de forma a despertar reação nos espectadores. Quem leva? A Chegada tem som realmente fantástico, mas a comunicação entre aliens e humanos no filme é principalmente visual, e o som fica de fato em segundo plano. Tudo aponta para um Oscar para Até o Último Homem -– a não ser que a sabotagem ao trabalho de Mel Gibson contamine também essa categoria.

Melhores Efeitos Visuais

  1. Mogli: O Menino Lobo
  2. Doutor Estranho
  3. Rogue One
  4. Horizonte Profundo: Desastre no Golfo
  5. Kubo e as Cordas Mágicas

Aqui uma categoria em que os Blockbusters são sempre reconhecidos! Mogli já levou o BAFTA e realmente mostrou animais fotorrealistas. Deverá ser o ganhador inconteste na categoria.

Melhor Figurino

  1. Jackie
  2. La La Land
  3. Florence – Quem é essa mulher?
  4. Animais Fantásticos e Onde Habitam
  5. Aliados

Continuando na nossa saga de categorias técnicas, Jackie levou o BAFTA por figurino, mas La La Land tem o encantamento de boa parte de público. Quem leva? Bom, filmes de época costumam ter vantagem nessa categoria, então nossa previsão é que Jackie ganhe o prêmio, no entanto não será surpresa se La La Land levar mais uma aqui.

Melhor Direção de Arte

  1. Animais Fantásticos e Onde Habitam
  2. La La Land
  3. A Chegada
  4. Ave, César!
  5. Passageiros

Essa normalmente seria uma categoria fácil. Animais Fantásticos levou o BAFTA, o que já é um bom indicativo. Além disso, filmes de época ou que representam universos fantásticos sempre têm vantagem. Se não contarmos Batman em 1989, e nós não contamos, você teria que voltar até 1979 para encontrar um ganhador do Oscar em que a história se passe em tempo presente. Mas, *mas*, em 1979, o ganhador na categoria foi justamente um musical: All That Jazz. Será a chance de mais um musical, quase 40 anos depois, quebrar o estigma na categoria? Difícil, mas não impossível.

Melhor Maquiagem e Penteados

  1. Star Trek: Sem Fronteiras
  2. Um Homem Chamado Ove
  3. Esquadrão Suicida

Bom, o ganhador do BAFTA na categoria sequer foi indicado ao Oscar, então não é uma boa pista. Esquadrão Suicida não deveria passar sequer pela esquina do teatro onde as estatuetas são entregues e a atrocidade que foi a maquiagem/construção do Coringa jamais poderá ser recompensada. Este ano, a estatueta deve ir para Star Trek, com Um Homem Chamado Ove (que tem um trabalho bom de maquiagem, mas nada demais) correndo por fora.

Melhor Documentário em Curta-Metragem

  1. The White Helmets
  2. Joe’s Violin
  3. Extremis
  4. Watani: My Homeland
  5. 4.1 Miles

Duas perguntas para você: Você se importa com a categoria de Melhor Documentário em Curta-Metragem? Se sim, por que?!? Ok, ok, estamos brincando. Dezenas de documentaristas com poucos recursos, uma ideia na cabeça e uma Canon T5i na mão se arriscam para lançar alguma luz sobre temas que normalmente passam desapercebidos no cotidianzzzZZZZZzzz…Quem leva? Nosso favorito é The White Helmets, sobre o grupo de Defesa Civil Sírio, atuando com pouquíssimos recursos em meio à selvagem guerra civil na Síria, resgatando pessoas de escombros, muitas vezes enquanto bombas ainda estão sendo jogadas. O grupo é severamente criticado pelo governo Sírio e pela Rússia. Oriente Médio, Guerra, Muçulmanos… outra chance para provocar Trump. Entende?

Melhor Curta-Metragem de Animação

  1. Piper
  2. Pearl
  3. Blind Vaysha
  4. Borrowed Time
  5. Pear Cider & Cigarettes

Sabe aquelas animações curtinhas que sempre passam antes dos filmes de animação da Disney e da Pixar? Normalmente elas são supremas nessa categoria e esse ano não deve ser diferente. Piper é lindo, e é uma aposta quase certa. Mas a categoria sempre é recheada de novos talentos. Pena que haja tanta dominância de grandes estúdios.

Melhor Curta-Metragem

  1. Timecode
  2. Ennemis Intérieurs
  3. Midenki
  4. Silent Nights
  5. La Femme et le TGV

Ok… como diabos devemos prever isso? Hummm… todos são premiadíssimos em prêmios sem muita relevância. Timecode, um drama sobre o cotidiano de dois seguranças de um estacionamento (???) levou a Palma de Ouro no Festival de Cannes. É uma boa pista e tem sido considerado o favorito da categoria. Mas – sempre haverá um mas – Ennemis Intérieurs corre por fora, com uma história sobre atentados terroristas islâmicos na França nos anos 1990.

Curioso pelas categorias principais? Aguarde o próximo post!

Bolão Oscar 2017

Quer ganhar um par de ingressos para a sala VIP do Cinépolis Natal Shopping, um poster de La La Land, três livros* da editora Intrínseca e três marcadores, feitos pelo Felipe Ernesto, personalizados sobre os filmes indicados? Participe do Bolão do Oscar 2017 do Blog O Chaplin em parceria com o Set Cenas! O participante que tiver o maior número de respostas corretas leva todos esses prêmios! É a sua chance de impressionar aquele(s) contatinho(s) cinéfilo(s)!

*Livros: “História da sua vida e outros contos”, de Ted Chiang; “Tony e Susan”, de Austin Wright; “Sully: O herói do Rio Hudson”, de Chesley Sullenberger e Jeffrey Zaslow)

[googleapps domain=”docs” dir=”forms/d/e/1FAIpQLSfk0sKs44STMoBApLWEZ0eWLCEV-a_bjQJgohEqNQ_7oc8Dow/viewform” query=”embedded=true” width=”760″ height=”500″ /]

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Comentários

comments

Sobre o Autor

Diego Paes

Formado em Relações Internacionais, Mestre e talvez Doutor (me dê alguns meses) em Administração, mas que tem certeza de que está na área errada. Pode ser encontrado com facilidade em seu habitat natural: salas de cinema. Já viu três filmes no cinema no mesmo dia mais de uma vez e tem todas as fichas do IMDb na cabeça. Ainda está na metade da lista dos Kurosawa e vai tentar te convencer que Kieslowski é o melhor diretor de todos os tempos.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.